Resenha: A Fúria dos Reis | George R. R. Martin

Capa do livro
Título: A Fúria dos Reis.
Autor: George R. R. Martin.
Páginas: A versão original tem 656 páginas e a de bolso tem 1190 páginas.
Editora: LeYa.
Tradução: Jorge Candeias.
Lançamento: Foi publicado pela primeira vez em 16 de novembro no Reino Unido e em março de 2011 no Brasil.

Sinopse: Um cometa da cor do sangue e fogo atravessa o céu. E a partir da cidade antiga de Dragonstone às margens proibidas de Winterfell, reina o caos. Seis nações lutam pelo controle de uma terra dividida e pelo Trono de Ferro dos Sete Reinos, preparando-se para o embate através de tumulto, confusão e guerra. É um conto em que irmãos conspiram contra irmão e os mortos se levantam no meio da noite. Neste lugar uma princesa se disfarça como um garoto órfão, um cavaleiro espiritual prepara um veneno para uma feiticeira traidora, e homens selvagens descem das Montanhas da Lua para devastar o campo de batalha. Com um pano de fundo incesto, alquimia e assassinato, a vitória pode chegar aos homens e mulheres possuidores do aço mais frio … e corações mais gelados. Quando há um confronto entre reis, toda a terra treme. 

Bem, creio que para começar essa resenha terei que dar um aviso. Caso você ainda não tenha lido o primeiro livro d'As Crônicas de Gelo e Fogo ou visto a primeira temporada da série, não leia essa resenha. Ela contém spoiler do primeiro livro, mas caso você não ligue ou já tenha lido o primeiro livro e queira continuar a lê-la, tudo bem.

O primeiro livro tem um final muito marcante, e esse livro já começa bem, pois queremos saber o que aconteceu com aqueles personagens. Com o prólogo narrado pelo Meistre Cressen, o atual meistre de Pedra do Dragão, governado por Stannis Baratheon, irmão do falecido rei Robert Baratheon. Creio que o prólogo se passa em Pedra do Dragão para introduzir o leitor alguns personagens e a realidade vivida por eles, fazendo o leitor entender melhor os personagens, como Stannis, Melissandre e Davos, um novo personagem de ponto de vista(ou se quiser abreviar, POV, que seria point-of-view characters).

Os novos personagens de ponto de vista são Davos Seaworth e Theon Greyjoy. Davos é um ex-contrabandista, que ajudou Stannis a não morrer de fome enquanto ele estava sofrendo de um cerco pelos homens dos Tyrell na Rebelião de Robert, ele nos mostra um pouco mais sobre a realidade vivida por Stannis. Já Theon Greyjoy, creio que todos o conheçam, depois de passar dez anos como protegido em Winterfell e lutado com Robb no Bosque dos Murmúrios, volta à Pyke como enviado de Robb para selar uma aliança com os Greyjoy, será que ele vai conseguir concretizar essa aliança?
A capa retrata Tyrion andando pela cidade
Depois do prólogo é que as coisas começam realmente a acontecer. Tanto em Westeros, como no outro continente em que Daenerys se encontra, está passando um cometa vermelho. Muitos personagens acham que ele não é apenas um fenômeno natural e que tenha algum significado, as vezes até você está acreditando nesses significados. Eu acredito que ele seja por causa do nascimento dos dragões de Daenerys, mas você quem sabe o significado que quer acreditar. Stannis se proclama legítimo herdeiro e começa a espalhar para o reino sobre a relação incestuosa entre Jaime e Cersei Lannister e seus frutos, Joffrey, Myrcela e Tommen, que não são filhos de Robert como todos acreditam e sim de Jaime. Mas Stannis não é o preferido para ter a posse do Trono de Ferro, pois é rígido, muito sério, e não muito simpático. Ele tem influência de uma sacerdotisa do fogo, Melisandre de Asshai, que implanta uma nova religião em Pedra do Dragão. Renly Baratheon, irmão caçula de Robert e Stannis, também se proclama rei. Tem o apoio da Casa Tyrell e o poderio de Ponta da Tempestade(sede da casa Baratheon) e todos seus vassalos. E também temos Robb Stark, que se denomina Rei do Norte, e guerreia por vingança ao pai, decapitado em Porto Real, e para ter suas irmãs de volta, mas não quer o Trono de Ferro, somente o Norte e as Terras Fluviais, nem é muito, só um pouco mais da metade do reino. Enquanto isso do outro lado do Mar Estreito, Daenerys vai para Qarth, lá ela tenta conseguir apoio financeiro para comprar um navio e voltar para Westeros, mas acontecem muitas coisas lá, e será que Daenerys, agora com três dragões, filhotes, mas dragões, vai conseguir ir pra Westeros?
As ruelas de Porto Real
Agora vou falar um pouco sobre os outros personagens de ponto de vista.
O nosso tão querido anão Tyrion Lannister tem uma grande importância nesse livro. Nós nos vemos envolvidos em seus conflitos com a irmã e com suas estratégias com a batalha que se aproxima.
Bran Stark agora começa a ter sonhos meio estranhos para uma criança, nossa única fonte de informações do Norte, como disse na resenha d'A Guerra dos Tronos, ele nos passa a misticidade de Westeros. Agora a misticidade vem com mais força ainda, com seus sonhos de lobo.
Jon Snow vai com Lorde Comandante Mormont e cia para o norte da Muralha investigar sobre os selvagens, digo que os capítulos de Jon são que nem diários de viagem, ele vai conhecendo lugares novos e nos apresentando-os.
Uma das personagens que mais foram desenvolvidas nesse livro foi a Arya Stark, que foi de lá para cá, tendo de lidar com muitos tipos de pessoas, tendo que se passar por um menino, que ela chamou de Arry.
Graças a Sansa Stark conseguimos nos aprofundar na corte. Ela começa a ''acordar para a vida'' e tenta achar algum modo de fugir de Porto Real e das garras de Joffrey e da Rainha Cersei.
Pela Catelyn Stark conseguimos saber mais sobre a guerra. Acredito que seja uma personagem muito forte, nesse livro ela passa por coisas que tem de ser bem forte para superar, está sempre sabendo das estratégias de batalha do filho, e sempre o aconselha, mas ele a ouve?

Eu demorei em torno de um mês para ler esse livro, as vezes estava animado e lia alguns capítulos e chegava em um que era mais parado e desistia de ler o livro por alguns dias, ai depois voltava e continuava fazendo o mesmo. Gostei do livro, mas me disseram que o terceiro é o melhor. Uma coisa que gosto no Martin é a certeza que ninguém está a salvo, a cada virar de página pode acontecer algo totalmente inesperado. Gostei muito do desenvolvimento da Arya no livro, ela se tornou muito mais forte do que era antes, Sansa também foi bem desenvolvida, deixando um pouco de ser aquela garotinha inocente que era antes da morte do pai. 

Sem dizer que o livro parece um tijolinho, são 656 páginas, que tornam o livro meio pesadinho. Não sei o porquê, mas os meus livros da LeYa tem um cheirinho de papel, mas aquele papel mais áspero e não tão liso como os outros, parece até um cheiro bem suave de madeira. Ainda não tenho A Tormenta de Espadas, mas pretendo comprar em breve. Enfim, posso dizer que vale muito a pena ler o livro e não ficar somente na série, ela não é tão detalhista quanto o Martin.



Você também poderá gostar

6 comentários:

  1. Estou tao louco pra ler essa série <3

    http://mundoemcartas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é maravilhosa, vale muito a pena. Você não vai se arrepender!

      Excluir
  2. Gostei, muito bom!! Adorei sua resenha ;D
    http://suenefernandes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Suene, fico contente que tenha gostado!
      Abraços!

      Excluir