Resenha: O menino do pijama listrado | John Boyne

Foto: Gabriel Constantino
Título: O menino do pijama listrado.
Autor: John Boyne.
Páginas: 187 páginas.
Editora: Companhia das Letras.
Tradução: Augusto Pacheco Calil.
Lançamento: 2013.
Sinopse: Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz ideia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.
Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.


Esse livro conta a história de Bruno, uma criança de oito anos com sonhos e a tão conhecida inocência infantil, ele vivia em Berlim até seu pai, que era um comandante do exército nazista foi promovido para tomar conta do campo de concentração de Auschwitz na Polônia tendo então que se mudar, Bruno não havia gostado nada nada dessa ideia, principalmente pelo fato de ter que deixar seus amigos e seus avós em Berlim, sem dizer que ele deixaria a casa que tanto gostava, gigantesca.

Foto: Gabriel Constantino
Já tendo se mudado para a Polônia com a sua família, ele começa a não gostar daquele lugar cada vez mais, onde só tinha sua irmã Gretel, sua mãe e seu pai, sem dizer nos soldados que estavam sempre entrando e saindo da sua nova pequena casa; sem outras crianças para brincar, ele começa a ficar cada vez mais entediado, nem seu hobbie preferido que era explorar ele não tinha como fazer, pois não o deixavam sair da antiga casa chamada Haja-Vista.

E então na sua primeira exploração ele vai tão longe que chega ao lugar que avistava da janela do seu quarto, um lugar com cercas de arame farpado e um garoto do outro lado dele, que ele não via do seu quarto, vestindo um pijama listrado. Esse garoto era Shmuel, o seu novo amigo.

O livro é ótimo, ele me fez ficar triste de uma tal maneira por causa de seu final, antes eu não havia gostado do livro por causa de seu final que me deixou muito triste, eu imaginava outro final, mas fazer o que. Esse livro foi muito bem escrito, dando  as informações aos poucos, e tudo pela visão de Bruno, uma criança inocente, que não sabia de nada deste conflito, e com essa visão inocente o autor tratou de um assunto tão cruel e triste da história mundial. Uma coisa que acho interessante é como o nazismo afetou a vida de muitos alemães, mesmo não sabendo sobre, como é o caso de crianças como Bruno, retratado no livro.



Você também poderá gostar

4 comentários:

  1. Eu ainda não li esse livro, mas já ouvi muito falar sobre ele! Só vi o filme, e posso dizer que chorei que nem criança!
    Lendo no Inverno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda não assisti o filme, mas me disseram que é bem fiel ao livro.
      Abraço!

      Excluir
  2. Oi Gabriel!

    Quando fiz essa leitura não cheguei a ficar tão triste, mas o filme me entristeceu bastante rs
    Eu gosto muito desse período histórico se você gostou dessa leitura recomendo que leia "O Diário de Anne Frank", uma história real de uma adolescente durante essa época :)

    Beijos!

    Ah, tem sorteio lá no blog ;)
    http://www.choqueliterario.blogspot.com.br/2015/07/especial-1-ano-de-blog-sorteio.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Joyce, eu não gostei do modo como o livro acabou, mas fazer o que né rsrs. Também gosto muito deste período histórico, eu já resenhei ''O Diário de Anne Frank'' aqui no blog, e a umas semanas atrás apresentei um trabalho sobre o diário dela.
      Abraço!

      Excluir