Resenha: O Cavalo e seu Menino | C.S. Lewis

Foto: Gabriel Constantino

Título: O Cavalo e seu Menino.
Autor: C.S. Lewis.
Páginas: 189 páginas.
Editora: Martins Fontes.
Tradução: Paulo Mendes Campos.
Lançamento: 1997.
Sinopse:  Ao saber que não era filho de Arriche, o pescador, o jovem Shasta decide fugir da cruel Calormânia. Na companhia do cavalo falante Bri, ele parte em direção ao Norte rumo a Nárnia, onde o ar é fresco e reina a liberdade. Em sua jornada pelo deserto árido, Shasta tenta imaginar o que estará esperando por ele adiante. Tudo parece tão vasto, desconhecido, solitário... e livre.


_______

Foto: Gabriel Constantino
Shasta é um garoto claro como os narnianos, totalmente diferente dos Calormanos, todos escuros e morenos por causa do sol, filho até certa parte da história de Arsheesh, um pescador que o maltratava e o fazia trabalhar. Shasta descobre isso quando um nobre chega na sua residência e seu ''pai'' o permite passar a noite por lá, enquanto Shasta ficava do lado de fora da casa. Certo momento da noite enquanto Shasta ouvia a conversa atrás da porta ele ouve alguém falando com ele. Quem era? Aonde? Só havia um cavalo próximo dele. Era o cavalo que estava falando com ele, um cavalo narniano, um cavalo chamado Bri. Conversa vai, conversa vem, os dois fogem com destino à Nárnia.


Na fuga noite adentro, Shasta e Bri pensam estar sendo perseguidos pelo nobre, mas não, era uma nobre que também estava em fuga com sua égua falante chamada Huin, uma nobre chamada Aravis, que havia fugido para não ter que se casar com um velho; dois fugitivos que fugiram de suas realidades para criar uma nova. Depois de tanto cavalgarem acham um ponto que vai se aumentando conforme eles andam rumo ao horizonte, era a cidade de Tashbaan, lá Shasta é confundido por um nobre e conhece os narnianos, mais precisamente Pedro, Susana, Edmundo e Lucia. 


Foto: Gabriel Constantino
Na trajetória acontece de tudo, uma aventura nata, eles passam por diversas situações que nos deixam mais presos a cada página do livro; um livro que te prende de uma tal maneira que olha... 


Foto: Gabriel Constantino
Gosto muito desse livro, ele nos mostra muitos valores e nos ensina diversas lições, mas o pior que todos livros que eu li do Lewis nos ensinam algo; é uma saga destinada a crianças, mas todos que lerem acabam se encantando, pois mesmo com uma escrita leve, Lewis consegue cativar o leitor, parece história de avó que todo mundo para e ouve sem interromper. 

Seria tão bom se tivesse uma adaptação cinematográfica desse livro... mas decente né gente, por favor!


Você também poderá gostar

Nenhum comentário: