Resenha: Príncipe Caspian | C.S. Lewis

Foto: Gabriel Constantino
Título: Príncipe Caspian.
Autor: C.S. Lewis.
Páginas: 215 páginas.
Editora: Martins Fontes.
Tradução: Paulo Mendes Campos.
Lançamento: 1997.
Sinopse: Tempos difíceis abateram-se sobre a terra encantada de Nárnia. Os dias de paz e liberdade, em que os animais, anões, árvores e flores viviam em absoluta paz e harmonia, estavam terminados. A guerra civil dividia o reino, e a destruição final estava próxima. O príncipe Cáspian, herdeiro legítimo do trono, decide trazer de volta o glorioso passado de Nárnia. Soprando sua trompa mágica, ele convoca Pedro, Suzana, Edmundo e Lúcia para ajudá-lo em sua difícil tarefa.

O livro começa contando sobre os Ultramarinos e o seu príncipe: Caspian. Também mostrou o modo como eles (ultramarinos) repudiavam os narnianos, que foram caçados quando os ultramarinos desembarcaram em Nárnia, a partir deste momento todos os seres narnianos passaram a se esconder para não serem praticamente extintos do seu próprio território; os ultramarinos também não gostavam que os estudiosos dissessem que eles invadiram e dominaram Nárnia, e sim que aquele lugar já pertencia a eles. Os narnianos eram chamados de "selvagens"


Foto: Gabriel Constantino

O pai e a mãe de Caspian estavam mortos, sendo Caspian o herdeiro do trono por direito, mas o poder estava nas mãos de seu tio até o momento que Caspian atingisse idade. Depois de muitas tentativas a esposa de seu tio conseguiu engravidar, tendo assim um herdeiro. Com essa carta na manga que poderia ser apenas mais um acontecimento na corte, mas o seu tio pensava em matar Caspian e ter o trono, e após isso o seu filho. E com isso a trama realmente começa a se desenvolver.

Quando seu tutor; professor(WHATEVER), descobre disso ele monta uma fuga para Caspian não ser morto, mas ele é seguido por soldados ultramarinos a mando de seu tio. Na floresta ele cai do cavalo, toca a trompeta que ganhou do seu 'mentor' que trazia alguém para lhe ajudar, ele esperou um pouco e cadê a ajuda? Isso que dá comprar bugigangas de velhas esotéricas hahahaha, mentira, essa trompeta foi a que Aslam deu à Susana n'O Leão, A Feiticeira e o Guarda Roupa, e ela trouxe ajuda, trouxe de Londres, a trompeta mágica trouxe Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia para Nárnia novamente!
Foto: Gabriel Constantino

Os quatro sempre se remoíam de saudade de Nárnia, mas quando foram teletransportados para Nárnia não a reconheceram, pois já faziam milhares de anos que eles sumiram de lá ou somente foram embora. 

Esse livro é bem suave e bacana de se ler, não é uma leitura pesada. Achei o Caspian muito legal e tudo mais, mas prefiro os quatro como reis e rainhas de Nárnia do que Caspian, me julguem. Uma coisa que percebi é que o autor usa aborda de um jeito quase imperceptível a questão da colonização, que por meio dessa ficção ele ilustrou muitas realidades, e olhando pelo lado de vista dos narnianos há muito estudo sociológico sobre os povos dominados e tal. Achei as batalhas desse livro muito empolgantes, as estratégias, os novos personagens; tudo tão legal.




Você também poderá gostar

Nenhum comentário: