642 coisas sobre as quais escrever: 175

Escreva sobre os medos da criança e o que você pode dizer ou fazer para ajudar a criança a superar os medos.

Nunca gostei de crianças, tão excêntricas, cativantes e outra coisa que não combina comigo: felizes. Não que eu não seja feliz, eu sou, mas é que eu já passei por muitas decepções e perdas que me tornaram assim desse jeito. Mas criança é uma coisa que não tem como evitar, principalmente se você tem irmãos.

Um dia antes do feriado de finados recebo uma ligação de Heloísa, minha irmã:
-Oi Hugo, tudo bem?
-Oi, tudo bem e contigo?
-Tudo, só uma coisa que tá me incomodando, por isso tô ligando pra ti...
-Pode falar o que foi Heloísa, pior que tá não fica.
-Então, tu sabes que o Breno quase não tá parando em casa depois de ser promovido né, e eu recebi a notícia de que tenho de ir para Natal a trabalho com mais alguns colegas fechar um contrato para a empresa, e a Isis está com uma babá a dias e não se adapta de jeito nenhum, chora sempre que chegam perto dela coitada. Será que tu não ficarias com ela somente amanhã?
-Ahh Helô, eu não sei não, tu sabes que eu não me dou muito bem com crianças.
-Deixa dessa Hugo, todas crianças sempre gostaram de ti. E além do mais que a Isis também gosta muito de ti, já que ela não tem contato com o Higor que tá morando fora. Ah, ela vai ter festinha na escola amanhã, então ela só vai chegar as 17h, tu só vais ter que levar e buscar.

Nesse momento Heloísa me desarma de um modo que fico sem resposta, ela sempre soube desarmar as pessoas, esse é um dom que ela tem e eu nunca vou conseguir aprender. Só seria um dia, que mal teria nisso, além do mais que eu estaria de folga, e ela teria festinha na escola, só chegaria as 17h. O que custa quebrar um galho pra Heloísa que já quebrou troncos por mim.

-Ok Helô, pode deixar que eu fico com ela amanhã.

Heloísa agradece, dá todas as orientações e me diz que se eu quisesse poderia dormir em sua casa, para não ter que levar Isis a minha. Falo para ela que é melhor ela vir para a minha casa, pois eu também trabalho em casa, então para mim ficaria bem melhor. Tudo combinado, orientações dadas, tudo certo.

Na manhã de finados vou buscar Isis na sua casa em um condomínio em um bairro nobre da cidade. Na portaria me deixam entrar rapidamente, pois a Heloísa já havia avisado a minha vinda. Quando toco a campainha, analiso os detalhes da porta de madeira escura em contraste com as paredes claras. Helô abre a porta, me dá três beijinhos e logo me avisa que Isis está sonolenta, pois acabou de acordar. Espero as duas tomarem café e deixo Isis na escola junto com Heloísa, depois fomos para o aeroporto.

-Tchau Helô, pode ficar tranquila que eu vou cuidar bem da tua pequena.
-Eu sei que vai, bom, acho que eu deixei tudo o que a Isis irá precisar contigo né?
-Sim, sim, deixou.
-Ah, então tá tudo bem, deixa eu ir lá se não vou perder meu voo.- ela me dá três beijinhos, dá um tchau e vai rumo a entrada do aeroporto.

Agora eu seguiria minha normal rotina até as 16h30 e depois teria de ir buscar à Isis.

A tarde passa normalmente, busco Isis na escola, quando chegamos em casa preparo nossa janta, já que Helô me avisou que Isis jantava normalmente nesse horário das 18h. Enquanto estávamos jantando nossa macarronada, acontece algo que não estava esperando: falta luz na rua. Estamos em horário de verão, então ainda não dava para perceber, mas daqui a algumas horas Isis perceberia. Terminamos de jantar, e fomos para o quintal, monto uma velha barraca que estava guardada a muito tempo esperando uma oportunidade dessas para sair do armário.

Depois de montar a barraca peço a ajuda de Isis e começamos a colocar sobre a grama vasos com velas dentro, depois eu vou uma por uma acendendo-as. Quando começou a ficar escuro Isis nem percebeu, só me disse que tinha medo do escuro, algo comum para uma criança de 4 anos. Entramos na barraca e arrumo nossos colchões infláveis, pego um livro e me preparo para começar a lê-lo para Isis, até que ela tem um surto.

-Tio, eu tô com muito medo, vamos pra dentro, ai ficamos com a luz acesa.
-Não Isis, vamos ficar aqui fora, vai ser muito divertido -Tento tranquiliza-la, pois ela nem imagina que faltou luz.
-Mas eu tenho medo tio!
-Vou te contar um segredo, tá vendo aquelas velas? -Ela concorda e eu continuo- então, elas fazem luz por não terem medo do escuro, então quando tu não tiveres mais medo do escuro, tu vais conseguir fazer luz também, então tu deves acreditar que tu não precisas ter medo do escuro, pois tu és luz, a luz mais clara e bela que existiu!
-Mas tio...
-Só acredita Isis, mas acredita com fé e coragem!
-Tá bom, mas tu não vai ler essa historinha pra mim?


Começo a ler o livro para ela, até que ela adormece, e quando estou quase dormindo olho para Isis e a vejo brilhando, emitindo uma clara e bela luz.


Você também poderá gostar

2 comentários:

  1. Olá Gabriel, tudo bom?!

    Adorei o recadinho que deixou no meu blog, fiquei feliz que gostou da minha dica.
    O melhor é que tenho a oportunidade de conhecer o seu blog.
    Que já achei muito legal ;*
    Várias resenhas e gosto bastante...

    Grande Beijo ;)

    www.maricotacaradericota.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, eu também adorei o teu blog, uma coisa que o blog nos proporciona é poder conhecer pessoas novas.
      Abraços e obrigado pela visita!

      Excluir