642 coisas sobre as quais escrever: 115

12 Comments


Minha árvore favorita tem mais de 100 anos e já viu muitos romances se desenvolverem aos seus pés, viu romances acabarem embaixo de seus galhos, viu o mar, viajou de navio e hoje está em todos os continentes praticamente. Badalada? Nem um pouquinho, só fez essas viagens pois é cult, mas preferia muito mais ficar em seu lugar, com um bom friozinho e uma leve brisa batendo em seus ramos.

Já serviu para fazer diversas coisas, casa, móveis, barris, navios, artesanatos e hoje em dia serve até mesmo de combustível vegetal! Gosta de ficar perto das suas parentes, no que os humanos chamam de bosque, mas na realidade para as árvores aquilo não se tem nome, é apenas um aglomerado de árvores, que conversam durante anos, conversas longas, duradouras, e para nós humanos, um tanto quanto cansativas.

Não estou aqui para falar de todas parentes da minha árvore predileta, e sim de uma específica, uma que eu conheci de perto, andei em baixo de seus ramos, toquei seu tronco de mais de 100 anos, me sentei a sua sombra e acompanhei uma bela história, que acredito eu, deve ser contada nesse texto.

Vi uma moça e um rapaz jovens, porém pobres, e os tempos eram difíceis, casamentos eram como os pais das jovens conseguiam agregar um pouco mais de peso ao nome de sua família e quem sabe um pouco mais de dinheiro a tal. Ela tinha sido destinada a se casar com o filho do mercador da sua cidade, o mercador tinha apenas um filho, o Ângelo, um militar que estava ascendendo para altas patentes locais, já o seu amado Lino não tinha nada, era filho de um pedreiro, não tinha nada, a não ser a roupa do corpo, isso o fazia não ser candidato a se casar com a bela moça.

Ela se chama, Maria, uma bela jovem de uma família que era rica, mas havia perdido quase tudo pelo passar dos anos devido à má administração dos seus integrantes. Maria queria se casar com Lino, o amor de sua vida, mesmo ele não tendo posses, ela o amava, e isso era maior que qualquer coisa.

Eles passaram a se encontrar toda semana no velho carvalho nos campos tão verdes que pareciam esmeraldas, cobertos por flores do campo amarelas, um belo contraste. Dia vai e dia vem, Maria é obrigada a se casar com Ângelo, mas não antes de se encontrar com Lino pela última vez, eles precisavam ter algo para se lembrar, deixar a marca daquele amor. Então Lino pegou a faca que sempre carregava em sua cintura e marcou na árvore um coração com as iniciais L e M. Maria levou consigo mais uma coisa daquele último encontro, o seu filho, Marco, que tinha seus cabelos castanhos e os olhos azuis do pai, que não era o Ângelo.


Por fim, eles nunca mais se viram, Maria se mudou para uma cidade grande com o marido, Lino se casou também, mas não foi tão feliz como Maria, que teve algo de seu amado para nunca mais se esquecer do grande amor que tiveram. Depois de fazerem aquilo na árvore, foi como um surto, todos jovens casais começaram a fazer aquilo também, então em quase todas as árvores pelas cidades tinham corações com iniciais. 

P.S.: Fiquei umas semanas sem postar nada, mas agora estou de volta, aconteceu tanta coisa nesses últimos dias... Ah, amanhã tem post novo!


Você também poderá gostar

12 comentários:

  1. Eu também aderi ao 642 e me interessei bastante pelos temas. Já disse que sempre estou lendo seus textos, né? Às não comento, mas eu adoro a forma simples que você escreve. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Júlia, é super legal esse projeto de escrita, incentiva muito a criatividade.
      Abraços!

      Excluir
  2. Esse teu texto ficou muito bom! Creio que seja a primeira vez que entro no teu blog, mas tenho certeza que o acompanharei por mais vezes e.e

    Abraços,

    Blog Decidindo-se \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Vinicius, também costumo frequentar o teu blog hahaha.
      Abraços!

      Excluir
  3. Boa tarde, voltei pra dizer que te indiquei para outro prêmio

    ResponderExcluir
  4. acho tão meio corações!
    é tão lindo um casal apaixonado

    beijos
    www.maricotacaradericota.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?
    Quanto tempo que eu não apareço aqui, MDs!

    Eu senti falta do seu blog e de suas visitas! <3

    Amo isso de 642, quisera eu ter aderido! Iria amar exercitar minha criatividade assim!

    AMEI o seu texto e fiquei muito triste por Lino e Maria. </3 Socorro.

    Ansiosa pelos próximos!

    Beijos e até mais!

    www.dreamsandbooks.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Lorrane? Eu sempre frequento o seu blog, só que tive problema com os comentários do Discus então deixei de comentar, mas estou sempre por lá hahaha.
      Abraços!

      Excluir
  6. Como sempre, perfeito seu texto. Parabéns pela criatividade.
    Abs!
    Gi Pereiraa

    ResponderExcluir